Quando Lisboa canta

Torre de Belém

O nome tem origem fenícia de 1,2  mil AC, somada a cultura trazida pelos Romanos, no século II.  Liss Ubbo seria Porto Seguro, em fenício ou fenicês ( ? ).  Mas Lisboa é uma cidade lisótima !  Porém daria um nome muito estranho, para uma cidade tão solar, aberta, extendida sobre o rio Tejo, um assombro de grande. Do Alto da Torre de Belém dá para compreender Camões e tanta euforia com a aventura marítima. Para ir além do bojador, tem que se ir além da dor.

E também Fernando Pessoa, quantas gotas do teu sal, são lágrimas de Portugal ! Encontrei os dois no Mosteiro dos Jerônimos, infelizmente estavam mortos e enterrados. Saí de lá tão sem juízo que nem a pastelaria dos famosos pastéis de Belém eu vi, senti o cheiro, pelo menos, é muito bom.

Avenida principal

Um motorista de táxi, filósofo estóico que a tudo avaliava com notável rapidez, me disse que a coisa toda é que Portugal não tem mais classe média e nem sossego depois do almoço, quando até os restaurantes fechavam.  Tiraram o escudo do português, as hordas corporativas lançaram logo as telefonias,  supermercados, bancos,  sistemas automáticos de pagamentos, etc…O Diário de Notícias reclamava do HSBC com sete bilhões de lucros, em euro, mesma matéria que vi em Londres, no The Independent.

Recife no pedaço

Mas Lisboa é cidade pacata perto do frevo que são Paris e Londres. Lembrei de Pernambuco porque Olinda está em Lisboa, nas encostas do Castelo  de São Jorge, tem até alma sebosa.  Só que tudo mais conservado.

De noite, depois que o sol vai descansar às 22h, o Chiado lota de turistas e jovens portugueses. Aí ferve. Realiza-se enfim a Europa unida, tem gringo de tudo quanto é lado, muito poucos de outros continentes, conforme comparei depois com Paristina  e  Al-Lon-Caeda.


%d blogueiros gostam disto: