A maldição do Tempo

alea jacta est

Começo de ano é sempre a mesma coisa.  Ninguém importante está trabalhando, só tem subordinados nas repartições e cartórios. Muitos órgãos internos combinam férias coletivas para o corpo e o espírito, tudo deve voltar nesta segunda. Mas, como sempre,  órgãos à meia-bomba.

O tempo é uma ilusão coletiva, que nos parece real pela existência dos relógios, dos horários e compromissos. O que rola mesmo é velocidade, deslocamento, reações químicas nos envelhecendo.

Por ser um combinado entre humanos, há quem manipule o tempo a seu favor.  Publicar decisões em Diário Oficial no fim do ano é uma técnica quase secular. Fica difícil contestar, com a mansidão da aurora de um novo ano combinado entre humanos.

Por isso ainda não consegui provas de que há problemas na licitação da Lona Renato Russo, toda essa embromação de explicar o tempo filosófico foi apenas para que o próprio, onde estiver, gostasse do texto e aceitasse minhas desculpas.  Ele gostava muito de ler revoltados.

A resposta desses artigos que venho escrevinhando está vindo de alguns lados. Parece que todos vão acordar aos poucos, quando não haverá mais tempo de resolver a situação. Alguém cavalgou o tempo e atropelou a verdade no caminho.  Como se trata de um escândalo, pode ser que bata nos jornais, esses prisioneiros da crônica.

A sorte está lançada.

%d blogueiros gostam disto: