Beatles, fama e os impossíveis


super-herói do rock

O Alá Bike Man adotou o Wolverine no seu visual, como sub-título da sua perseverança, coragem e capacidade de recuperação. Seguindo seu exemplo, procurei um super-herói que fosse músico, distraído e ainda capaz de fazer muitas coisas ao mesmo. Achei o Multiman, do trio os Impossíveis, que tinha ainda o Coilman ( homem-mola ) e o Fluidman ( homem fluido ).  Tudo isso foi tirado do Baú do Edu, um blog muito legal sobre cultura pop e principalmente Beatles.

O BAÚ DO EDU

Por lá tem uma entrevista do John Lennon à revista Playboy, talvez a maior contribuição que aquelas páginas cheias de curvas já pôde dar aos caminhos tortos da humanidade.

Lennon explica porque os Beatles acabaram, como foi a mudança de vida causada pela Yoko, que praticamente salvou Lennon de um destino do tipo Elvis em Las Vegas. A mulher-dragão foi muito mal compreendida, o sucesso de alguém nubla a capacidade natural de ver e entender esse alguém. Nunca saberemos quem são ou foram nossos ídolos.

Uma das melhores histórias da entrevista: Em 76, ele ainda recebia o Paul em casa, que praticamente entrava sem bater no apartamento de NY, o sinistro edifício Dakota. Na época, rolava uma declaração do produtor de shows Sid Bernstein, de que um show beneficente reunindo os Beatles arrecadaria R$ 200 milhões fácil. Os humoristas do Saturday Night Life, ótimo programa de humor da NBC, ofereceram no ar, a importância de $ 3.200, por que era tudo que eles tinham no bolso. Lennon e Macartney estavam assistindo juntos e consideraram a hipótese de irem até o estúdio, ali perto, buscar o trocado e estrondar no programa. John que desfez a idéia, para não especularem mais ainda sobre o retorno que ele nunca quis. E que nunca aconteceu.

Em tempo: a amizade se rompeu porque Lennon pediu ao Paul que pelo menos avisasse quando ia passar por lá, que eles ” não estavam mais em 1956″, o casal estava com criança pequena em casa. Macartney amarrou a cara e nunca mais falou com o amigo de tantos anos.

Os impossíveis, desenho da Hanna Barbera, de certa forma confirma a negação de Lennon em continuar o Fab Four. A tal cultura revolucionária que eles provocaram estava se tornando produto de TV para crianças. Os impossíveis eram uma banda de terninhos,  rapazes bons moços e cabelos rebeldes. Isso tudo ainda em 1966, quando eles preparavam a verdadeira revolução, no som de Sargent Peppers.

%d blogueiros gostam disto: