U-Biker

primeira logo

logo atual

Quando eu (re)comecei a pedalar,  em 2005, foram as razões de sempre, exercício para um sedentário, por recomendação médica. Mas há um vírus no ar contaminando muitas pessoas, o ciclovírus, eu não escapei e não tem cura. Milhões estão se deixando contaminar, por várias razões. Das pedaladas nestes anos surgiu a idéia de uma campanha por mais ciclovias. Um projeto piloto foi desenvolvido para autoridades e colaboradores. Nos links abaixo tem mais detalhes e na coluna à esquerda os projetos em pdf para download da campanha pela Ciclovia Ilha – Caxias, RJ. e do Anel Cicloviário da Ilha do Governador.

reconhecimento dU-Biker na comunidade

 

 

 

Das crônicas dU-Biker

Carnaval

SAÍDA :  Terça Gorda, 16 de Fevereiro, 2010

Marcela na Passarela

Na terça de Carnaval, a terça gorda,  fui até o Centro, saindo da Ilha pela rota do Alarico, Ilha do Fundão, pequeno trecho de Linha Amarela, depois Av. Brasil, Caju, em direção da Francisco Bicalho. Metade, deu prá ir pelas calçadas. E no final a felicidade de andar livremente na pista da Presidente Vargas, sem carros. Na verdade havia muitos carros estacionados, os carros alegóricos. Carnaval é a república dos sonhos. Durante quatro dias as pessoas decidem viver o que não podem fazer os outros 360 dias do ano. Se tornam donos da própria vida, em geral deixando ela rolar, imaginação acima, ou ladeira abaixo. Carnaval é a melhor coisa que já aconteceu ao Brasil, melhor que Getúlio, o pré-sal, ou o futebol. É o que sustenta a boa alma brasileira, capaz de fazer muitos sofredores tolerarem uns poucos gananciosos.

Carro da Mangueira

É uma pena que seja tão negociado, a ponto do povo carioca ficar de fora, a maior parte pelo menos. Principalmente na Zona Norte, onde o carnaval de rua está acabando.  Ano que vem a Prefeitura anunciou que não poderá haver mais blocos novos, deve ser um caso para o Centro e Zona Sul, porque o resto da cidade sobra espaço no cordão.

pista livre na Pres. Vargas

É muito bom andar nas ruas do país do Carnaval, vendo gente fantasiada, um clima de filme fantástico, ao olhar aquelas esculturas transitórias dos carros.  A todos deve acontecer o fluxo de lembranças datadas, como se houvesse uma existência separada na vida regular, cheia de dias de Carnaval somente, onde tivemos infância, adolescência, encontramos pares, casamos e levamos os filhos fantasiados como um dia nossos pais nos levaram. Acho que dá um bom roteiro.

barraca salvadora

Foi uma saída de bicicleta quase perfeita, essa terça gorda. Aproveitei para ativar meus genes de camelo, sem beber água no percurso, regulando esforço, velocidade e duração de percurso, contra sede, sob 40 graus.  Consegui chegar inteiro ao Centro, em uma hora. Quando fui pedir ao barraqueiro aquela merecida água, percebi que havia perdido meu único dinheiro. O barraqueiro percebeu meu desconforto e me ofereceu a água de graça, até mais uma, se eu quisesse.  Espírito de Natal no  Carnaval. Bebi metade do meio litro, e voltei com metade. Os genes de camelo funcionam, se um dia eu precisar deles de verdade.

TEXTO DE VIAGEM

Em Búzios, com Bituca.

Estrada em Casimiro de Abreu, rumo à infância.

A Armação de Búzios é um formato geológico peculiar, várias pequenas e médias praias, separadas por um morro bordado por pedras e pontais, que separam as praiotas. Do lado sul a água é mais fria, porque vem da Antártica, é mar aberto. Do lado norte, o rio São João esquenta e turva a água, mas nem tanto. Deve vir da Brahma, ou da Schincariol… O percurso todo, umas vinte praias, leva umas quatro horas, mas não há estrada ou caminho costeiro ligando as praias. é preciso ir até a praia e voltar ao centro ou as vias públicas. U Biker subiu e desceu os morros para ver do alto. São inclinações de uns 18 a 20 graus e para valer o passeio foi preciso subir em curvas de nível, zig-zag. Foram duas horas puxadas: Do lado norte: Manguinhos-Armação(centro)-Ossos-Azeda-Azedinha-João Fernandes-Fernandinho -Subida do Morro-Brava-Forno-Focas-Ferradura-Geribá-Manguinhos(Centro Gatronômico). A vista é bela como os freqüentadores, cada vez mais brancos internacionais, misturando-se aquela indolência chique do freqüentador rotineiro da Armação. Outro público bem $eleto e numeroso são os mineiros, daquele estado gigante que nasceu sem praias. Na verdade U-Biker viu e presenciou uma cena inédita de um dos corações de Minas Gerais, Milton Nascimento, o Bituca. Em João Fernandes ele estava sentado todo paramentado para um mergulho nas lages, onde tem umas cororocas coloridas. Estava cercado de amigos e familiares, muito legal vê-lo assim, feliz e comum como um mineiro em Búzios. Mergulhamos juntos, um fã aquático eu fui. Queria ver uma tartaruga, tarde demais, Milton, os argentinos espantaram as últimas que haviam com passeios de banana boat.

Milton no momento empadinha

sombra na subida

No Alto da Ferradura, sina de sorte.

2 Respostas to “U-Biker”

  1. Guilherme Says:

    Oi, tudo bem?
    Preciso do seu endereço para enviar a recompensa do Catarse do FMB de Porto Alegre que aconteceu no ano passado.
    Valeu


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: