Acidente no Campus Universitário

Um dos locais preferidos por ciclistas que treinam velocidade, a Ilha do Fundão, precisa ser melhor definido para essa atividade, urgentemente. O acidente de quinta-feira passada, 10/5, deixou dois no Hospital Souza Aguiar,  centro cirúrgico de traumato-ortopedia, um dos piores locais para ciclistas que treinam velocidade.

Humberto Schmidt, vice-presidente da Associação de Ciclistas da Ilha do Governador, ACIG, e apoiador da equipe ACIG-Portuguesa.

           Diz a boa educação que você considera quem chega primeiro. Manda a moral proteger os mais frágeis.  Quando o Fundão era um oásis de espaço na apertada Zona Norte, os ciclistas já treinavam por lá. Com o crescimento exponencial da Petrobrás e vizinhos fizeram até um viaduto, mas nenhuma plaquinha de CICLISTAS TREINANDO  !!

Rogério Trovão e o irmão Roberto, aguardando cirurgia no terceiro andar do Souza Aguiar.

Humberto Schmidt, 49, e Rogério Trovão, 20, estão no Souza Aguiar. Ricardo Xavier, 32, está em casa. E Daniel, Charles e Reginaldo, nada sofreram. O Humberto deve colocar pinos na perna, teve o rosto machucado, levou pontos. O Rogério quebrou a perna, cortou o braço e deslocou o ombro, além de uma pancada na vértebra sem lesão. O carro de apoio aos ciclistas foi atingido e as bicicletas.

Braço, coluna, perna e ombro. 60 dias de recuperação, depois da operação que aguarda. Quem pode ajudar ?

O local é aberto, apesar de ter sido à noite, a visibilidade é total, a pista é larga. O autor, João Vilaça Fº, diz que não viu o carro ao fazer a curva, se assustou, atropelou os ciclistas, depois o Humberto, depois o carro.  Ou seja, ele admite que todos os ciclistas estavam no meio-fio e o carro parado à frente, mas que se assustou ao fazer a curva e ver o carro parado ” em local proibido “, como notou antes de bater. O sujeito é um gênio, então. Consegue raciocinar questões de tráfego enquanto se assusta.

Operação na tíbia, para colocar pinos. 40 dias de recuperação.

A história dos ciclistas é a de todos os ciclistas que por ali treinam. Luz acesa o tempo todo alerta ligado.  Dois deles pararam por problemas na bike, os outros foram buscar o carro de apoio. Que chegou depois, parou à frente deles e o Humberto saiu do carro para ir aos ciclistas parados. Quando surgiu o atropelador levantando os ciclistas, depois o Humberto.

NOTÍCIA ERRADA 

NOTÍCIA CERTA 

A cobertura de mídia, àquela hora da noite, não foi das melhores. Com excessão da CBN, que ouviu os ciclistas e passou a matéria para o Globo, os outros arrumaram uma versão de ” ciclistas atravessando ” que não consta do boletim de ocorrência.  E para caracterizar a eterna discriminação e ignorância sobre bicicletas, o autor João Vilaça Fº diz que ” há uma ciclovia que passa por ali “, como quem diz ” o que vocês estão fazendo na minha pista de carros ? “.

A Ilha do Fundão é grande o bastante para todos usarem.

Estamos fazendo uma equipe de competição, a ACIG-Portuguesa, mas o João Vilaça Fº terminou com a primeira versão dela.  Outras virão.  Agora é cuidar das feridas, rever o processo, pedir ajuda de quem leu até aqui. Vamos nos reunir quinta-feira, de 4h às 6h, no local do acidente, para tentar um pouco mais de segurança aos que ainda treinam por lá.

E quem gosta de ser visitado quando está doente ou quebrado, vá ao Souza Aguiar e dê uma força, leve umas frutas. Se conhece algum médico por lá, fale com ele, peça atenção ao atleta que ainda está esperando cirurgia. A ACIG vai contratar serviço de advogado para proteger os direitos evidentemente vilipendiados nesse processo inicial. Vamos passar o chapéu porque nossa associação ainda é pequena mas não vai acabar na Ilha do Fundão.

Anúncios

11 Respostas to “Acidente no Campus Universitário”

  1. ODILON NERY Says:

    Lamentável, força amigos, desejamos melhoras o mais rápido possivel para voltarem as atividades, forte abçs Nery STREET FOX!!!!

  2. Carlos Says:

    Ficou claro que o motorista está errado, afinal foi agente causador de um acidente. Porém, a culpa não é integralmente dele. Sou ciclista também. Se paro no trânsito vou para lugar seguro. Será que essa segurança realmente existia por parte dos ciclistas? É preciso estar atento, pois nem sempre num acidente envolvendo um carro e uma bicicleta, o ciclista está com a razão. É como acidente que envolve moto, a maioria dos condutores são motoqueiros e não motociclistas! Não culpo os ciclistas, mas é preciso lembrar que, tirando a embriaguez, raramente um acidente ocorre por um único motivo. No final das contas não interessa quem está certo. Geralmente o ciclista é o mais vulnerável e o mais prejudicado! Plena recuperação aos colegas!

  3. anonymous Says:

    Força companheiros! Enquanto a lei não punir o motorista que atropela pedestres/ciclistas haverá crescimento nas estatísticas de acidentes. Atropelar alguém é um crime!!! Retirar a boa condição de saúde de alguém é crime! Matar alguém(não importa o meio utilizado) é crime!!! P U N I Ç Ã O J Á!!!!
    JOSIVAN

  4. Vitor Moraes Ortuondo Says:

    Melhoras aos ciclistas. Se ou quando houver necessidade de doação de sangue, avisem o local de doação e em nome de quem.

  5. Antonio Ferreira de Oliveira Says:

    Tá dificil se formar ciclistas no Rio de janeiro e no Brasil, aqueles que tentam além de não ter apoio, ainda existe o grande perigo de serem atropelados nos seus luagres de treinos.
    Ser ciclista no Brasil é quase impossível, é meio que suícida, pior que nada é feito para melhorar essa situação, estão perdendo uma grande oportunidade, porque existem muito talentos, mas a violência no trânsito é um garnde limitardor dessa prática.

  6. Fernando Says:

    Impressionante a falta de cuidado da Globo em publicar uma versão que não consta no registro de ocorrência policial…

    E apenas lembrando(em especial o Art. 59) :

    “Art. 39 – Antes de entrar à direita ou à esquerda, em outra via ou em lotes lindeiros o condutor deverá:
    Parágrafo único – Durante a manobra de mudança de direção, o condutor deverá ceder passagem aos pedestres e ciclistas, aos veículos que transitem em sentido contrário pela pista na qual vai sair, respeitadas as normas de preferência de passagem.

    Art. 59 – Nas vias urbanas e rurais de pista dupla, a circulação de deverá ocorrer, quando não houver ciclovia, ciclofaixa ou acostamento, ou quando não for possível a utilização destes, nos bordos das pista de rolamento, no mesmo sentido de circulação regulamentado pela via, com preferência sobre os veículos automotores.”

    Art. 60 – Desde que autorizado e devidamente sinalizado pelo órgão ou entidade com circunscrição sobre a via, será permitida a circulação de bicicletas em passeios.

    Art. 69 – É assegurada ao pedestre a utilização dos passeios ou passagens apropriadas das vias e dos acostamentos das vias rurais para circulação, podendo a autoridade competente permitir a utilização de parte da calçada para outros fins, desde que não seja prejudicial ao fluxo de pedestres.

    $1º – O ciclista desmontado empurrando a bicicleta se equipara ao pedestre em direito e deveres.

    Art. 106 – São equipamentos obrigatórios dos veículos, entre outros a serem estabelecido pelo Contran:

    VIII – Para bicicletas e ciclomotores, a campainha, sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos pedais, e espelho retrovisor do lado esquerdo.

    $3º – Os fabricantes, os importadores, os montadores, os encarroçadores de veículos e os revendedores devem comercializar os seus veículos com os equipamentos obrigatórios definidos neste artigo, e com os demais estabelecidos pelo Contran.

    Para quem afirma precipitadamente que ciclistas devem SEMPRE pedalar na ciclovia, leia o Artigo 59 novamente.

    Em nossos treinamentos pedalando sozinhos é comum pedalarmos entre 30 a 35 km/h e em pelotões é comum pedalarmos entre 40 e 50 km/h e alguns atletas em certas condições podem chegar a quase 65km/h em velocidade máxima. Essas intensidades de velocidade superiores a máxima permitida de 20km/h das ciclovias associado as características físicas inapropriadas da ciclovia para tal fim, mais a movimentação de pedestres nela justificam o uso da pista de rolamento. Mas na existência de ciclofaixa em alguns pontos onde é possível entrar nela sem bater nas tartarugas, nós damos preferência a ela.

  7. Raphael Pazos Says:

    os atletas do triathlon que tambem treinam no Fundão tambem estao sensibilizados com o fato e estamos divulgando em todas as redes sociais. Melhoras para nossos amigos ciclistas e se precisarem de alguma ajuda basta entrar em contato, principalmente se for necessario doacao de sangue para a operacao a qual ele sera submetido. Me chamo Raphael Pazos e sou o presidente da associacao de triathlon master do estado do RJ.

  8. Horacio Sobrinho Says:

    É uma tragédia anunciada o que houve. Já ocorreram outros acidentes envolvendo ciclistas no Fundão, mas nenhum tão grave. Desejo melhoras aos nossos companheiros de pedal.

  9. Anônimo Says:

    Inacreditavel!!! nao estamos seguros em nenhum lugar.
    Nem em grupo, local iluminado, carro de apoio e ainda por cima parado!!!………..nao tenho palavras…sofri um acidente parecido em 2007 e quase fiquei paraplegico. graças a deus estou aqui competindo novamente.
    Melhoras aos cilistas e em particular ao Colombio meu amigo de pedal.
    Que deus os proteja!!

    Nelson Condor.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: