Poucas e boas

Em tempos de Facebook, parece que blogar ficou redundante. Como ficaram vazias as mercearias, com a invenção do supermercado. Isso aconteceu com meu avô, agora acontece comigo. Os budistas é que estão no caminho certo, tudo é volta.

E não é que hoje os supermercados estão perdendo espaço para as redes menores ? Na Ilha abriu um hortifruti, já tem notícias da rádio tamanco que o Zona Sul chega à Ilha este ano. Mas isso tudo eu digo só para justificar o pouco texto hoje, estilo supermercado.

Paraty tem tamanho e disposição planas para fechar o circuito: caminhos, sistema integrado e alta demanda

Em Paraty: depois de 236 telefonemas,  1236 e-mails, 2 viagens e 1 concurso público, consegui abrir uma portinhola naquele município híbrido de interior e mundo.  Uma campanha para influir nas plataformas dos candidatos, puxando a sardinha para as magrelas de lá, sempre famintas por espaço seguro.  Linkar a campanha com eventos locais é a meta da próxima viagem.

Detalhes da Avenida principal: 172 bicicletas / hora, ao meio-dia de terça.

O Surto Criativo anda animado. DW na TV Brasil, Mari chegando da Espanha, Manfred ensaiando de novo. O Santa Fé está captando para projetos de lei Rouanet e o Gógol anda fuçando em Paraty. Léo e Raíza estão em outro planeta, ampliando horizontes num centro de estudos astrais, que ainda não sei nem o nome, mas promete um post interessante quando eu encontrar com eles.

veja mais no site

E como todo supermercado tem produto na promoção, aqui vai o meu. Estou vendendo a piranha, contra minha vontade, em favor da vontade do médico. Quando – ou se – eu voltar a viajar, vai ser de reclinável. Por agora, para consolar da venda inesperada, vou realizar um sonho:  a dahon dobrável.

Duplo freio à disco é segurança no tráfego urbano.

Portanto quem quiser uma bicicleta de primeira linha, com preço de segunda, é a piranha.  Ela não dá oficina – nunca regulei nada, nem banco – serve para tudo, sendo híbrida, veloz e forte na relação de 27 marchas. Tem uns defeitos de aparência como visto nas fotos abaixo.

Descascados na pintura e pedais velhos são os defeitos.

É piranha o nome da minha fuji 2.0 absolute garfo FC-900 de carbono porque no primeiro dia ela me mordeu !  Entrei numa curva pedalando e desacostumado que estava no tamanho do pedivela, bateu o pedal no chão, ela corcoveou que nem égua. Quando a perna voltou foi em cima da coroa grande.

componentes shimano, pedivela truvativ, alumínio denso.

Balancei mas não caí. Recobrado do susto, senti a pancada mas voltei a pedalar logo. Até que vi o caldo rubro escorrendo da canela ao tênis. Estava na frente do Hospital Santa Maria Madalena. Histórias dU-Biker.  Sete pontos em formato de mordida.  Na verdade, em quase dois anos, nunca caímos. Viajamos do Rio a Casimiro, pela Rota do Sol. Fomos de barca e pela Avenida Brasil a todos os pontos que ligam minha vida ao mundo.  Acho que deu uns mil kms.

mesa regulável, ferramentas allen.

Ela vai com bagageiro top e pneu traseiro novo, misto. Merece sempre uma supertranca e toda atenção. A origem é nobre, veio da Amazonas Bike, referências com o Cláudio, presidente sempre presente da Fecierj. Como não posso botar preço nessa relação homem-máquina, aceito ofertas, com troca por uma dahon, desde que seja da mesma idade. Ofertas à partir de R$ 2000,  para dar um chute inicial.

bagageiro de alumínio preto

NO MERCADO LIVRE

http://www.mercadolivre.com.br/jm/item?&site=MLB&id=234826047

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: