Balanço da viagem Litoral Norte

U-Biker na estrada com o trem azul.

Foram seis dias de estrada, entre Niterói ( Barcas ) e  Casimiro de Abreu, onde voltei de carona. 230 km.

Foram cinco noites nas cidades litorâneas, para seis dias de viagem, com média de 57 km por dia viajado. Descansei um dia inteiro, em Cabo Frio.

O trecho mais longo foi Saquarema Cabo Frio, com 82 km, o mais curto de Maricá a Saquarema,  34  km. O percurso é plano, salvo elevações de estrada e ruas em cidades.  A maior ladeira é no ínício, na Alameda.  Uns 12 graus.

Foram cinco dias de sol e vento à partir de meio-dia. Máxima de 34. Mínima de 14.  O sexto dia foi chuva fraca e vento numa pedalada de 90 minutos em 31 km.  O equipamento é uma Fuji híbrida e conjunto de alforges da Ortlieb.

Em Saquarema

Os gastos médios se resumem a R$ 120 por dia, com hospedagem, água e alimentação 5x ao dia. Levei malto dextrina, para fazer um litro por dia, deu quase meio quilo. Não houve surpresas, nenhum pneu furado, nenhuma queda.

Dos 69 itens voltaram 65. Um feito !

AS ESTRADAS :  De Niterói é um problema sair. Não estudei, não resolvi, fui pela Alameda ( São Boaventura ) mesmo. Quem tiver uma solução melhor me avise, porque começar uma viagem dessas de lazer com aquele trânsito infernal…Um atenuante, como sempre é sair bem cedo.

Alameda São Boaventura às 9h

Depois é Rodovia Amaral Peixoto, que cruza com o roteiro três vezes  e nela permanece por uns 60 km, somente. Nos trechos em cidades costuma ter movimento de carros na contra-mão. Outro risco são ônibus parando fora de ponto, o inesperado sempre acontece.

Amaral Peixoto às vezes fica sem acostamento

Rodovias estaduais acontecem algumas vezes, sempre sem acostamento com nível fraco de trânsito nesta época. No verão ainda não viajei, mas dá para imaginar que são muitos carros e muitos bêbados na direção.

Rodovia secundária à beira do mar

Ligando as rodovias algumas vicinais de barro, barro e areia, asfalto danificado e paralepípedos, principalmente nas cidades ( Saquarema é campeã ) . Só em Maricá e Cabo Frio havia tráfego intenso na zona urbana. Todo o resto foi tráfego leve nas cidades.

Ciclovia de Saquarema à Bacaxá

Tem quase 60 km de praia no roteiro, outros 40 km dentro da reserva da Massambaba, outros 80 km entre lagoas, com entradas para outras praias sem vias costeiras. Nestas vias tem comunidades pequenas, como Monte Alto, Figueiras, Pernambuca, locais com praias, bares e restaurantes.

Reserva da Massambaba

AS CIDADES :   Maricá é região metropolitana de Niterói, assistida por uma só empresa de ônibus. Tem muita bicicleta, portanto. Não há eventos sociais de bicicleta no calendário. Quem supre a lacuna é a Fecierj, com eventos esportivos. Tem grande potencial, locais próximos entre origens e destinos. E tem o Zé do Pedal, celebridade local, grande cicloturista desde 1969.

Zé do Pedal numa homenagem da prefeitura

Saquarema tem ciclovia, cultura da bicicleta associável ao Surf  e eventos esportivos. Mas a grande concentração de ciclistas está em Bacaxá, com riscos graves na margem da rodovia Amaral Peixoto. Vale sinalização.

Margem de rodovia

Cabo Frio é uma cidade grande. As reformas recentes colocaram ciclovias turísticas e pelo menos uma dentro da cidade. Tem eventos esportivos mas não vi passeios no calendário oficial. Como tem muita organização, acho viável solicitar inclusões de passeios nos eventos anuais e contatos para sinalização e compartilhamento. Tem muita bicicleta no trânsito e falta bicicletários por toda a cidade.

Faltam bicicletários por toda a região

Búzios não entrei, mas há muita bicicleta entre Cabo Frio e Búzios. O restante é Barra de São João que concentra tráfego naquela ponte como principal problema. Mas dali até Rio das Ostras tem paralelas à rodovia com segurança, faltando, como em toda a região, sinalização específica para compartilhamento.

Ciclista na pista sem sinalização

Rio das Ostras é campeã. Tem ciclovia à partir da estrada e bicicleta para todo lado, com os mesmos problemas de Cabo Frio, faltam bicicletários. A cidade concentra eventos esportivos da Fecierj e tem passeio anual.

Ciclovia em R.O recepciona o cicloturista

Uma conclusão preliminar de viajante que começa uma pesquisa: A Região dos Lagos tem origens e destinos próximos, em raios mínimos de 3 km até máximo de 10 km, entre suas periferias e centros. O resultado foi a opção geral da população de todas as rendas pela bicicleta nos locais, com intenso uso turístico, trabalho e estudo. O que tem pouco mesmo é cicloturista neste roteiro.

Agora eu pergunto:  A região dos Lagos que vc conhece é essa que mostrei ?

Veja fotos também no Facebook/alex gomes.


					
Anúncios

Uma resposta to “Balanço da viagem Litoral Norte”

  1. Paraty 2012 « Blógol Says:

    […] de fazer o Litoral Norte contra o vento, em seis dias de bicicleta, virei de lado e ventei para Paraty de carro, mesmo.   As dores nas […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: